EmpresarialJurídico

A importância da presença de Advogado nas audiências de conciliação e mediação

Compartilhe!

O advogado, ao entender a posição importante que possui perante seu cliente, tem como intuito esclarecer sobre a melhor solução do litígio, sendo que, caso este já tenha passado para a esfera judicial, os procuradores procuram ressaltar que a solução do litígio ainda poderá ser encontrada no possível acordo a ser firmado durante a audiência preliminar. Ao agir desta maneira, o advogado acaba realizando o papel de conciliador, chegando ao fim do conflito e a paz entre os litigantes sendo restabelecida.

Segundo o Manual de Mediação de Conflitos para Advogados (MMCA), é realmente valiosa a conduta do advogado durante a audiência preliminar, adaptando seu comportamento e buscando a estratégia mais adequada a ser utilizada para solução do conflito em questão. Como acentuado pelo Manual, os advogados devem atuar seguindo alguns norteadores, como a cooperação, discursos claros e objetivos, estimulando ainda a criatividade de seus clientes com intuito de resolver o conflito. 

Powered by Rock Convert

Agente pacificador

O representante legal deve, portanto, buscar a pacificação do litígio de maneira a evitar outros conflitos resultantes com uma possível solução inflexível, ou tardia, dada por um juiz que somente decidiria quem é o vencedor da causa, assim, levando em conta a relevância das condutas do advogado, dentro e fora da audiência, o MMCA busca orientar os agentes para uma atuação consistente e eficaz.

Além disso, as partes devem definir os objetivos a serem alcançados e, baseados em seus interesses, o advogado tem de traçar a melhor estratégia para aproximar seu cliente do sucesso. Nesta oportunidade, o procurador deve aconselhar o diálogo entre os litigantes, de forma a extinguir a rivalidade existente entre eles, como modo de realizar o maior objetivo de ambas as partes.

Com efeito, pode-se concluir que o advogado tem a responsabilidade de oferecer as melhores possibilidades, contribuindo para uma menor judicialização e por uma sociedade pacífica, deste modo, utiliza-se de diferentes estratégias e auxilia as partes a chegar a um consenso como modo de atingir um bem comum e a maior satisfação do usuário ao procurar o judiciário.

Sarah Furtado Violante

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *