EmpresarialJudicialJurídico

7 Dicas para Fugir das Armadilhas da Black Friday!

A Black Friday é a data em que os comércios em todo o mundo realizam promoções especiais. Ocorre sempre na quarta sexta-feira do mês de novembro, após o Dia de Ação de Graças dos Estados Unidos. Com a Black Friday tem início a temporada de compras de final de ano, com os principais descontos e promoções do varejo.

Em português, Black Friday é traduzido como “Sexta-Feira Negra”. A origem dessa expressão se dá pela alta concentração de pessoas no comércio na sexta-feira após Ação de Graças, causando muito congestionamentos e movimentações pela cidade. Assim, a partir da década de 80, a cor preta começou a ser usada para representar valores positivos, enquanto o vermelho representava valores negativos.

No Brasil, a primeira Black Friday ocorreu em 2010, porém, totalmente em plataforma online, reunindo as maiores lojas de varejo pela internet. Com o decorrer das edições, o evento cresceu e vem crescendo exponencialmente, partindo de alguns milhões, para bilhões de reais em faturamento. Conforme pesquisa publicada no editorial de Economia & Negócios do Estadão – Portal do Estado de São Paulo, a Confederação Nacional e Comércio de bens, Serviços e Turismo, espera que a Black Friday deste ano movimente mais de R$ 3,6 bilhões no varejo nacional. Na mesma publicação, a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e a Ebit/Nielsen projetam que o faturamento da Black Friday deste ano, aumente 18% em relação a 2018.

A grande procura pelos descontos oferecidos favorece a ação de oportunistas, que se aproveitam da empolgação dos consumidores para aplicar diversos golpes, principalmente nas compras online. As armadilhas mais comuns aplicadas vão desde constar preço diverso no carrinho de compras, até o famoso “phishing”, que trata-se do golpe em que os dados do consumidor são coletados para uso inadequado, sem nenhum tipo de invasão, pois é o próprio consumidor quem fornece seus dados sem o conhecimento de que está sendo enganado.

Podemos mencionar outras três fraudes que sempre encontram-se no rol das principais reclamações dos consumidores, quando trata-se da Black Friday: os anúncios das ofertas de “metade do dobro”, ou seja, o lojista aumenta o preço dias antes do evento, para no dia da Black Friday, colocá-lo com um desconto de que este produto chegue no mesmo preço original. A entrega do produto também configura alto índice de reclamações, que vão desde o atraso até o não recebimento da compra efetuada pelo consumidor. Por fim, a criação de sites, e-mails e publicidades falsas são grandes, praticamente as campeãs das reclamações!

Assim, elencamos sete dicas de como o consumidor pode fugir das armadilhas da Black Friday:

1. Cuidado com os valores muito abaixo do mercado.

Para isso é preciso que o consumidor tenha, ao menos, uma ideia do valor de mercado do produto desejado. É importante desconfiar quando um produto está muito abaixo de seu valor, pois cada um possui o que chamamos de custo associado, ou seja, possui um valor material para a loja, sem a contabilização do lucro. Assim, dificilmente uma loja venderia um produto que sua venda lhe causaria prejuízo.

Fique atento, também, se o valor na hora do pagamento é o mesmo anunciado. Isso também pode ser comum nas compras online. Confira o valor do frete e preste atenção até o último momento da compra. Porém, em casos como este, o consumidor pode reclamar através do Suporte de Atendimento ao Cliente da loja, bem como, requerer a revisão do frete.

2. Analisar as promoções ofertadas

Conforme já mencionado acima, uma das fraudes mais conhecidas é a oferta “metade do dobro”, ou seja, dias antes da Black Friday, o lojista aumenta o valor do produto, ofertando um desconto ilusório. Para precaver desta fraude, o consumidor deve analisar as promoções ofertadas, por exemplo, pesquisando o produto desejado em mais de um site ou loja física.

Ainda, há algumas lojas virtuais que disponibilizam o histórico de valores do produto, caso haja a disponibilização deste histórico, é muito importante o consumidor observar os descontos antes de efetuar a compra.

3. Buscar referência sobre o site

Na Black Friday, as fraudes mais comuns acontecem pelas lojas virtuais. Para realizar uma compra segura, é necessário verificar se determinado site possui uma boa referência.

Existem páginas comuns de reclamação, bem como, notas dos órgãos de defesa do consumidor, que podem auxiliar na hora de verificar a segurança e a idoneidade de um site. A  recomendação de pessoas que já compraram nesse site também é importante.

Powered by Rock Convert

É importante desconfiar de sites pouco conhecidos, optando, de preferência, por lojas virtuais mais famosas, desde que conferido se o link da página está correto.

4. Consultar a credibilidade do site

Completando a dica anterior, é muito importante o consumidor se atentar se o site que pretende comprar é confiável e se este possui uma credibilidade no mercado.

Para tanto, além das consultas nos órgãos de proteção do consumidor e das páginas disponíveis de reclamação online, o consumidor, também pode procurar a loja em outras plataformas online, por exemplo, nas redes sociais.

Assim, caso o consumidor esteja desconfiado da credibilidade de um site, procurando nas redes sociais pelo nome da loja, é possível verificar comentários, avaliações, reclamações dos produtos vendidos neste site, podendo assim, realizar sua compra com um pouco mais de segurança.

5. Utilizar antivírus no celular ou computador

Ainda como dica para as compras online, importante utilizar-se de um antivírus antes de acessar o site ou o link enviado a você. Essa proteção bloqueia os acessos não autorizados ao seu celular ou computador. Há um alto índice de ameaças externas nesta época de Black Friday.

Da mesma forma, também sugerimos não acessar nenhum meio eletrônico público, bem como, evitar as redes gratuitas de internet, pois estas não possuem nenhuma garantia de proteção.

6. Proteção às senhas e cartão de crédito

É muito comum ouvirmos falar que na Black Friday é preferível realizar a compra por meio de cartão de crédito, uma vez que caso sofra alguma fraude, a instituição bancária poderá também respaldá-lo, muitas vezes, cancelando a suposta compra e estornando o valor pago pelo produto.

Porém, para o uso do cartão de crédito é preciso tomar mais cuidados, principalmente, quando tratamos de lojas online. Deve-se evitar os sites que possuem códigos de acesso semelhantes aos de cartão de crédito, bem como, salvar seus dados de forma automática no site.

Essas ações impedem que a loja armazene seus dados pessoais, evitando a invasão de agentes externos.

7. Prefira lojas que disponibilizam diversas opções de pagamento

Como última dica, mencionamos que é preferível optar sempre por uma loja ou site que ofereça diversas formas de pagamento, isto porque, para aceitar o pagamento com o cartão de crédito, por exemplo, as lojas precisam cadastrar uma conta, contratar uma operadora de cartões, ou seja, um procedimento um pouco mais minucioso, que dificulta fraudes. Mesmo assim, ainda existe alto índice de sites falsos, que aceitam pagamento com cartão de crédito.

É importante saber que o pagamento feito por meio de depósito, transferência bancária ou boleto, não possui possibilidade de estorno.

No mais, pode-se destacar que após a compra realizada na Black Friday, é importante guardar todos os comprovantes, notas fiscais, e-mails de confirmação e, se possível, fotocópias das telas do site ou do procedimento de compra.

Ainda assim, caso o consumidor caia em alguma dessas fraudes mencionadas, bem como, qualquer outro prejuízo que tenha sofrido pelas ofertas da Black Friday, deve procurar um profissional para lhe orientar em como ter assegurado os seus diretos.

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *